segunda-feira, 17 de outubro de 2011

De repente

De repente
as águas perdem altura
e mesmo
que não alcancem
as nuvens
os pés sentem
a terra
firme. 


46 comentários:

  1. Um dia você vai volitar e se lembrará de mim. Pretensão minha, eu sei. Bj

    ResponderExcluir
  2. Onde tu preferes andar? Nas águas, nas terras... ou nas nuvens?

    Beijos,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  3. Terra firme é lá onde se encontra o seu coração. O resto é movediço.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Os verdadeiros sentimento são os construídos em terra firme. Bj.

    ResponderExcluir
  5. Terra firme é tudo que a gente quer.

    Beijo beijo, Lelena.

    ResponderExcluir
  6. sólida, líquida, gasosa... a tua terra firma-se em todo o estados, Lelena, inclusive no de sítio!
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Bom dia BF
    Meu nome é Juliana Borges, nos encontramos em um post de comentários. O termo " mulher pastel" aguçou minha curiosidade de conhecer seu perfil. Tenho imensa admiração pela reflexão crítica de seu esposo e imagino que deva ser uma mulher admirável.
    Peço desculpas por quaisquer desagrado de minha autoria, pois tenho plena consciência que não perco uma boa oportunidade de ficar calada.
    Mas isso o tempo vai ensinando, não?
    Abs,

    ResponderExcluir
  8. de repente, não mais que de repente, e um repente repentino, e eu repetido


    beijo

    ResponderExcluir
  9. de repente cai de quatro nessa imagem!


    beijo, criatura das nuvens*

    ResponderExcluir
  10. Que lindo, Lelena!
    e eu que nem sei ter os pés no chão...

    um dia eu aprendo eu acho...ou não :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  11. Cho, e eu esqueço de você???
    Endoidou mais um pouquinho, é? :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  12. Marcantonio, terra firme flutuando no coração, no corpo, na energia faz tanto tanto TANTO bem :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  13. Cuervo, disse bem que no fundo, no meio, no raso, acaba sendo tudo a mesma coisa :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  14. Quem sabe o almejar as nuvens diminua o peso
    dos pés sobre a terra(ou será sob??)

    um beijo

    ResponderExcluir
  15. Lindo demais, minha querida!
    Terra firme, esse sítio tão difícil de se descobrir...
    Beijos da
    Zélia

    ResponderExcluir
  16. Os pés sentem sempre a terra firme quando fazemos o que deve ser feito. A questão é que nem sempre sabemos...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  17. Terráqueo, sabe que acho que os verdadeiros passeiam por todos os lugares, voam conosco, nadam com a gente, caminham os nossos passos. Os verdadeiros aproximam as nuvens, as águas e a poeira necessária para esse doido existir.
    beijosss

    ResponderExcluir
  18. AC, às vezes é o excesso de concentração nos próprios passos que não nos deixa ver, às vezes, não :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  19. Zélia, obrigada :) Terra firme tem de saber navegar e voar para não se perder!
    beijosss

    ResponderExcluir
  20. Ci, como você é danada! Sua pergunta lê as minhas palavras com tanta exatidão!!!!
    beijosss :)

    ResponderExcluir
  21. Andrea, acho que quando a gente coloca as palavras nas linhas estamos a colocar os pés no chão, nos muitos chãos que devemos conhecer.
    beijosss

    ResponderExcluir
  22. Cris, criatura também de nuvens, eu fiquei enlouquecida quando vi essa imagem! Mas muito mais que o normal :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  23. Assis, de repente você se repetindo em poesia!!
    beijosss

    ResponderExcluir
  24. Ju, seja bem-vinda ao bípede!
    Deve ter sido o post das calcinhas hope, não foi? Eu detestei o anúncio. Acho um desaforo nos ensinarem que o corpinho serve para ser devorado feito um pastel!
    beijoss

    ResponderExcluir
  25. Tania, o chão é que nem o céu, vai com a gente na mala, na cuia, na cabeça, na raça!!! :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  26. Wilden, falou o meu idioma. :)
    É isso aí, em qualquer estado, lá vamos nós!!
    beijosss

    ResponderExcluir
  27. Dade, terra firme é o que a gente praticamente é :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  28. De repente, eu abro outra garrafa e sigo em frente por essas nuvens densas...
    beijos, bípede.

    ResponderExcluir
  29. José Carlos, sirva-se a vontade das minhas nuvens e traga as suas :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  30. flutuei com os pés no chão ou voei com as raízes entre os dedos.
    bjs, BF, queridíssima!

    ResponderExcluir
  31. Jenny, queridíssima, deve ter feito os dois, que a gente não caminha, não, a gente flutua :)
    beijosss

    ResponderExcluir
  32. mfc, como diria um professor meu: verossimilhança interna!!! :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  33. pode não ter muita lógica, mas tem muita poesia! gostei.

    ResponderExcluir
  34. Vivo em terra firme, mas gosto mesmo é das nuvens. rs

    Sublime!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Este é, literalmente, o espelho do paraiso!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  36. Wilson, acabo de vir do seu blog. Não conhecia. Nossa, é muito bacana :)
    Que bom que você esteve aqui. De um jeito ou de outro vamos nos achando!!
    beijos e seja bem-vindo

    ResponderExcluir
  37. Parole, sempre me iludo achando que as nuvens me querem mais bem :)
    beijoss

    ResponderExcluir
  38. Ana Lúcia, se há poesia há alguma lógica mais enigmática e profunda evidentemente.
    beijoss :)

    ResponderExcluir
  39. E é tão bom sentir terra firme, apesar de andar nas nuvens ser ainda melhor :)

    ResponderExcluir
  40. Especialmente Gaspas, seja bem-vinda ao bípede!
    beijoss

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Leituras a partir de 1 de janeiro de 2012

1. Bilhete seco - Elisa Nazarian
2. Quando fui morto em Cuba - Roberto Drummond
3. O retrato de Oscar Wilde Fragmentos
4. Estrela miúda breve romance infinito - Fabio Daflon
5. Poemas - Wislawa Szymborska
6. Mar me quer - Mia Couto
7. Estive em Lisboa e lembrei de você - Luiz Ruffato
8. O pai invisível - Kledir Ramil
9. Poemas de Eugénio de Andrade - Seleção, estudo e notas de Arnaldo Saraiva
10. Os da minha rua - Ondjaki
11. A máquina de fazer espanhóis - Walter Hugo Mãe
12. Vigílias - Al Berto
13. Poemas concebidos sem pecado - Manoel de Barros
14. Face imóvel - Manoel de Barros
15. Poesias - Manoel de Barros
16. Compêndio para uso dos pássaros - Manoel de Barros
17. Gramática expositiva do chão - Manoel de Barros
18. Matéria de Poesia - Manoel de Barros
19. Arranjos para assobio - Manoel de Barros
20. Livro de pré-coisas - Manoel de Barros
21. O guardador de águas - Manoel de Barros
22. Concerto a céu aberto para solos de ave- Manoel de Barros
23. Quinta Avenida, 5 da manhã - S. Wasson
24. A literatura em perigo - Tzvean Todorov
25. O remorso de Baltazar Serapião- Walter Hugo Mãe
26. Lotte & Zweig - Deonísio da Silva
27. Indícios flutuantes (poemas) - Marina Tsvetáieva
28. A duração do dia - Adélia Prado
29. Rua do mundo - Eucanaã Ferraz
30. Destino poesia Antologia - organização Italo Moriconi. Ana Cristina Cesar, Cacaso, Paulo Leminski, Torquato Neto e Waly Salomão
31. Tarde - Paulo Henriques Britto
32. Correnteza e escombros - Olavo Amaral
33. Nelson Rodrigues por ele mesmo
34. A última coisa que eu pretendo fazer na vida é morrer - Ciro Pellicano
35. O encontro marcado - Fernando Sabino
36. O óbvio ululante - Nelson Rodrigues
37. O grande mentecapto- Fernando Sabino
38. O homem despedaçado - Gustavo Melo Czekster
39. Dia de São Nunca à tarde - Roberto Drummond
40. O canto do vento nos ciprestes - Maria do Rosário Pedreira
41. Antes que os espelhos se tornem opacos - Juarez Guedes Cruz
41. Desvãos - Susana Vernieri
42. Um pai de cinema - Antonio Skármeta
43. No inferno é sempre assim - Daniela Langer
44. Crônicas de Roberto Drummond.
45. Correio do tempo - Mario Benedetti
45. Gatos bravos morrem pelo chute - Tiago Ferrari
46. Gesso & Caliça - Alberto Daflon Filho e Fabio Daflon
47. A educação pela pedra - João de Cabral de Melo Neto
48. O fio da palavra - Bartolomeu Campos de Queirós
49. Meu amor - Beatriz Bracher
50. Os vinte e cinco poemas da triste alegria - Carlos Drummond de Andrade
51. A visita cruel do tempo - Jennifer Egan
52. Cemitério de pianos - José Luis Peixoto
53. O amante - Marguerite Duras
54. Bonsai - Alejandro Zambra
55. Diciodiário - Valesca de Assis
56. Não tenho culpa que a vida seja como ela é - Nelson Rodrigues
57. Lero-lero - Cacaso
58. O livro das ignorãças - Manoel de Barros
59. Livro sobre nada - Manoel de Barros
60. Retrato do artista quando coisa - Manoel de Barros
61. Ensaios fotográficos - Manoel de Barros
62. A queda - as memórias de um pai em 424 passos - Diogo Mainardi
63. Junco - Nuno Ramos
64. Os verbos auxiliares do coração - Peter Estérhazy
65. Monstros fora do armário - Flavio Torres
66. Viagem - Cecília Meireles
67. Cora Coralina - Seleção Darcy França Denófrio
68. Instante - Wislawa Szymborska
69. Dobras do tempo - Carmen Silvia Presotto
70. Eles eram muitos cavalos - Luiz Ruffato
71. Romanceiro da inconfidência - Cecília Meireles
72. De mim já nem se lembra - Luiz Ruffato
73. O perseguidor - Júlio Cortázar
74. Paráguas verdes - Luiz Ruffato
75. Todas as palavras poesia reunida - Manuel António Pina
76. Vidas secas - Graciliano Ramos
77. Inferno Provisório Volume II O mundo inimigo - Luiz Ruffato
78. O ano em que Fidel foi excomungado - José de Assis Freitas Filho
79. Boneca russa em casa de silêncios - Daniela Delias
80. As cidades e as musas - Manuel Bandeira
81. Billie Holiday e a biografia de uma canção Strange Fruit - David Margolick
82. Inferno Provisório Volume III Vista parcial da noite - Luiz Ruffato
83. Inferno Provisório Volume V - Domingos sem Deus
84. Inferno Provisório Volume IV - O Livro das impossibilidades - Luiz Ruffato
85. Pedro Páramo - Juan Rulfo
86. Zazie no metrô - Raymond Queneau
87. Fora do lugar - Rodrigo Rosp
88. Salvador abaixo de zero - Herculano Neto
89. Inferno Provisório Volume I - Mamma, son tanto felice - Luiz Ruffato
90. A virgem que não conhecia Picasso - Rodrigo Rosp
91. Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade
92. Tempo dividido - Sophia de Mello Breyer Andersen
93. A Rosa do Povo - Carlos Drummond de Andrade

Leituras a partir de 1 de janeiro de 2011

1.Desgracida - Dalton Trevisan
2.Diário de um banana - Jeff Kinney
3. Poemas escolhidos, seleção de Vilma Arêas - Sophia de Mello Breyner Andresen
4. Oportunidade para um pequeno desespero - Franz Kafka
5. Venenos de Deus, remédios do Diabo - Mia Couto
6. Ventos do Apocalipse - Paulina Chiziane
7. Para gostar de ler - Contos Africanos
8. Vinte e zinco - Mia Couto
9. O Vendedor de passados - José Eduardo Agualusa
10. O Fazedor - Jorge Luís Borges
11. Terra Sonâmbula - Mia Couto
12. Barroco Tropical - José Eduardo Agualusa
13. Quem de nós - Mario Benedetti
14. O último voo do flamingo - Mia Couto
15. A carta de Pero Vaz de Caminha: o descobrimento do Brasil - Silvio Castro
16. Na berma de nenhuma estrada e outros contos - Mia Couto
17.O reino deste mundo - Alejo Carpentier
18. Como veias finas na terra - Paula Tavares
19. Baía dos Tigres - Pedro Rosa Mendes
20. O português que nos pariu - Angela Dutra de Menezes
21. Cem anos de solidão - Gabriel Garcia Marquez
22. Vermelho amargo - Bartolomeu Campos de Queirós
23. Meu tipo de garota - Buddhadeva Bose
24. Tradutor de Chuvas - Mia Couto
25. O livro das perguntas - Pablo Neruda
26. O fio das missangas - Mia Couto
27. Luka e o fogo da vida - Salman Rushdie
28. Pawana - J.M.G. Le Clézio
29. O africano - J.M.G. Le Clézio
30. O pescador de almas - Flamarion Silva
31. Um erro emocional - Cristovão Tezza
32. O amor, as mulheres e a vida - Mario Benedetti
33. A cidade e a infância - José Luandino Vieira
34. História do olho - Georges Bataille
35. Destino de bai- antologia de poesia inédita caboverdiana
36. O tigre de veludo- E. E. Cummings
37. Poesia Soviética - Seleção, tradução e notas de Lauro Machado Coelho
38. A cicatriz do ar - Jorge Fallorca
39. Refrão da fome - J.M.G. Le Clézio
40. As avós - Doris Lessing
41. Vozes Anoitecidas - Mia Couto
42. O livro dos guerrilheiros - José Luandino Vieira
43. Trabalhar cansa - Cesare Pavese
44. No teu deserto - Miguel Sousa Tavares
45. Uma canção para Renata Maria - Ediney Santana
46. Sete sonetos e um quarto - Manuel Alegre
47. Trópico de Capricórnio - Henry Miller
48. Sinais do Mar - Ana Maria Machado
49. Carta a D. - Andre Gorz
50. E se o Obama fosse africano? E outras interinvenções - Mia Couto
51. De A a X - John Berger
52. Diz-me a verdade acerca do amor - W.H. Auden
53. Poemas malditos, gozosos e devotos - Hilda Hilst
54. Outro tempo - W.H. Auden
55. nem sempre a lápis - Jorge Fallorca
56. Elvis&Madona - Luiz Biajoni
57. Budapeste - Chico Buarque
58. José - Rubem Fonseca
59. Axilas e outras histórias indecorosas - Rubem Fonseca
60. Instruções para salvar o mundo - Rosa Montero
61. A chuva de Maria - Martha Galrão
62. Rimas da vida e da morte - Amós Oz
63. Aqui nos encontramos - John Berger
64. Pensatempos textos de opinião - Mia Couto
65. Os verbos auxiliares do coração - Péter Esterházy
66. Cartas a um jovem poeta - Rainer Maria Rilke
67. A canção de amor e de morte do porta-estandarte Cristovão Rilke - Rainer Maria Rilke
68. Adultérios - Woody Allen
69. Quem me dera ser onda - Manuel Rui
70. Satolep - Vítor Ramil
71. Homem Comum - Philip Roth
72. O animal agonizante - Philip Roth
73. Paisagem com dromedário - Carola Saavedra
74. Não te deixarei morrer, David Crockett - Miguel Sousa Tavares
75. Orelhas de Aluguel - Deonísio da Silva
76. Travessia de verão - Truman Capote
77. Avante, soldados: para trás - Deonísio da Silva
78. Antes das primeiras estórias - João Guimarães Rosa
79. O outro pé da sereia - Mia Couto
80. O cemitério de Praga - Umberto Eco
81. A mulher silenciosa - Deonísio da Siva
82. Livrai-me das tentações - Deonísio da Silva
83. A mesa dos inocentes - Deonísio da Silva
84. Hilda Furacão - Roberto Drummond
85. A estética do frio - Vitor Ramil
86. Poetas de França - Guilherme de Almeida
87. Tarde com anões 7 minicontistas - Carlos Barbosa, Elieser césar, Igor Rossoni, Lidiane Nunes, Mayrant Gallo, Rafael Rodrigues e Thiago Lins.
88. Pensageiro Frequente - Mia Couto.
89. A palavra ausente - Marcelo Moutinho
90. Uma mulher -Péter Esterházy
91. Cartas de amor - Fernando Pessoa
92. A última entrevista de José Saramago - José Rodrigues dos Santos
93. A morte de D.J. em Paris - Roberto Drummond
94. Do desejo - Hilda Hilst
95. Cenas indecorosas - Deonísio da Silva

Leituras a partir de 19 de Julho de 2010

1. La Hermandad de la uva - John Fante
2. Nem mesmo os passarinhos tristes - Mayrant Gallo
3. Um mau começo - Lemony Snicket
4. Recordações de andar exausto - Mayrant Gallo
5. Ladrões de cadáveres - Patrícia Melo
6. O mar que a noite esconde - Aramis Ribeiro Costa
7. Há prendisajens com o xão - Ondjaki
8. E se amanhã o medo - Ondjaki
9. O último leitor - Ricardo Piglia
10. Par e ímpar - Tatiana Druck
11. Paris França - Gertrude Stein
12. Quirelas e cintilações - Luiz Coronel
13. AvóDezanove e o segredo do soviético - Ondjaki
14. Luaanda - José Luandino Vieira
15. Poemas para Antonio - Ângela Vilma
16. Estranhamentos - Mônica Menezes
17. A vida é sonho - Calderón
18. A varanda do Frangipani - Mia Couto
19. Um copo de cólera - Raduan Nassar
20. Antes de nascer o mundo - Mia Couto
21.Lavoura Arcaica - Raduan Nassar
22- Poemas da ciência de voar e da engenharia de ser - Eduardo White
23. Manual para amantes desesperados - Paula Tavares
24. Materiais para confecção de um espanador de tristezas - Ondjaki
25. Milagrário Pessoal - José Eduardo Agualusa
26. Felicidade e outros contos - Katherine Mansfield
27. Estórias abensonhadas - Mia Couto
28. Fábulas delicadas - Eliana Mara Chiossi
29. O Ulisses no Supermercado - José de Assis Freitas Filho
30. Cartas Exemplares - Gustave Flaubert
31. A Moça do pai - Vera Cardoni
32. Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra - Mia Couto
33. Dentro de mim faz sul seguido de Acto Sanguíneo - Ondjaki
34. Bonequinha de Luxo - Truman Capote
35. 125 Poemas - Joaquim Pessoa.

Mundo bípede


visited 21 states (9.33%)
Create your own visited map of The World